A criança depende do seu ambiente afectivo e relacional para ter um desenvolvimento adequado, sendo este influenciado pela qualidade das relações, pela sua personalidade e pelas experiências vividas.

Algumas crianças são mais susceptíveis aos estímulos, às rupturas ou alterações no seu cotidiano. Face às mudanças (entrada para a escola, as mudanças de habitação, por exemplo), a criança é posta em causa face à sua capacidades de lidar com a frustração, aceitar novas regras, para assimilar aprendizagens, entre outras. Estes acontecimentos podem ser fortemente marcantes, levando a um mal-estar psicológico.

A expressão do sofrimento psicológico pode dar-se através de perturbações somáticas (transformação de um problema psicológico num sintoma físico, que é identificado geralmente pelo médico que não encontra uma origem física para o problema), comportamentais (agitação, agressividade…) ou psicológicas (angústia, desmotivação, pesadelos, fobia).

Estas dificuldades podem ser prejudiciais para um desenvolvimento afectivo e intelectual da criança pleno, tornando-se um obstáculo para aprender, criar relações sociais positivas, para a dinâmica familiar e, acima de tudo, para o seu bem-estar.

O impacto destas dificuldades pode ser reduzido através de um acompanhamento adequado, centrado nas necessidades percepcionadas após reunião com os educadores e avaliação psicológica.

crianca